Mercados e Tendências

O vinho impostado para a Polónia em 2013 excedeu os 100 milhões de litros: o número de importadores nos últimos 3 anos cresceu 400%, e alguns deles viram o seu retorno comercial crescer entre 20 a 30%. O consumo de Champagne aumentou 20% durante o ano e as previsões até 2019 são de um crescimento de mais de 70% na procura.

Dados de um país que tem vindo a aumentar a procura em direcção a qualidade.

A popularidade do vinho na Polónia está a aumentar, de tal forma que devemos considerar este país como um mercado com um potencial enorme dentro do mercado europeu. A importação de vinho em 2013 excedeu os 100 milhões de litros e a taxa de crescimento de vinhos de mesa alcançou os 10%. Alguns importadores registaram crecimentos na ordem dos 20-30%.
No primeiro semestre de 2014 as importações continuaram a crescer, tendo-se registado mais de 5% em volume e 9% em valor, confirmando a tendencia de um consumo que previligia a qualidade.

O mercado Polaco mostra sem dúvida um potencial enorme para um constante crescimento, apresentando elementos deste grande dinamismo: o primeiro grande sinal foi dado em 2007, com um aumento das vendas de 55% e de 28% em valor. Os efeitos da crise econòmica de 2009, afetaram estes números, não nos volumes em quantidades mas nos valores relacionados, comparativamente com o ano de 2008. Assim, pode-se dizer que os hábitos de consumo mantiveram-se, esperando somente por melhors tempos económicos.
A situação económica porém, deste país que tem vindo a crescer, depressa recuperou, e já em 2010 o consumo de vinho (único entre bebidas alcoólicas) registou um aumento positivo quer em volume (+8,3%) quer em valor (+15,3%).

As previsões mostram-se promissoras para o consumo de vinho na Polónia, desde logo pela expetativa no aumento do consumo per capita de 350% entre os anos 2010-1015, crescendo na procura de vinhos de qualidade (vinhos engarrafados obteu um aumento de 40 para os actuais 80%), confirmada por uma maior importação de Portugal, Itália, França, EUA, Chile e Georgia, contra a baixa na compra em países com características de vinho mais barato.

Entre o tipo de vinhos, prevalece a procura de tintos e rosés, com 50% do mercado. Os mais difundidos na Polónia são os obtidos nas seguintes variedades: Chardonnay entre os brancos (com cerca de 50% de quota no seu segmento), Cabernet Sauvignon entre os tintos, com 40%, seguido de Merlot (33%), estes são os números de 2010.

O consumo de vinho na Polónia apresenta também algumas características de sasonalidade, com aumento de procura nos períodos festivos (Natal, Páscoa, Carnaval) ou em termos mais privados, durante dias emblemáticos (casamentos, comunhões, aniversários e outras festas).
Do lado da distribuição, lado a lado com as grandes cadeias retalhistas (onde também se registou um avanço da procura de qualidade invés de preço) temos agora lojas especializadas vendendo vinhos de gamas média / alta. De mencionar a consolidação das vendas on-line, normalmente de productos de gama prestigío, onde os preços são bastante competitivos, na ordem dos 40%.

Manutenção de consumo, no mais forte país no leste europeu, uma tendencia positiva e espaço para novas oportunidades torna este lugar uma mais-valia para os operadores do setor.

Nada melhor que espelhar toda esta informação com uma frase proferida num media dedicado ao vinho: “a locomotiva da europa começa a queimar vinho”.

Fontes: GUS WARSZAWA – Unione Italiana VINI _ UbiFrance warszawa – ICEX SPAIN – ICE Italy.

“Sem flores, apenas garrafas de vinho”

 

 

The only letter
in the alcohol industry

vemo-nos em

Centro de Feiras Global EXPO Convention Center Modlińska Street 6D

instagram feed